Olá a todos! Aqui é a Xana. Para os curiosos, ou para os que estão a planear uma pequena viagem a Barcelona, deixo-vos aqui um cheirinho de como correu a minha.

Eu e o meu namorado marcamos esta viagem para fugir dos horários malucos que temos feito a nível de trabalho e universidade e todo o cansaço acumulado que temos sentido. Para isto não há melhor do que um saltinho numa das cidades mais divertidas da Europa certo?

Acordamos bem cedo na segunda-feira, dia 8 de Maio para apanhar o voo das seis da manhã. O voo tem a duração de aproximadamente duas horas, portanto chegamos bem cedinho ao aeroporto El Prat. Compramos o transfer, apanhamos o autocarro e paramos no centro de Barcelona, mais precisamente na Praça da Catalunha.

Dirigimo-nos ao hostel que ficava bem perto da praça. Ficamos no “Buba House” o qual aconselho vivamente. É muito central, fica a 2 minutos de uma das ruas mais famosas e luxuosas de Barcelona “Passeig de Gracia”, tem um ambiente super descontraído, o pessoal é impecável, um espaço ideal para todo o tipo de idades e tanto se enquadra para um alojamento de amigos como de casal. Tem um preço muito acessível e pequeno-almoço incluído.

Para quem ainda não marcou a sua estadia aconselho que o façam com bastante antecedência, pois arriscam-se a não ter grandes opções e muito menos por preços acessíveis. Barcelona é uma cidade muito turística e com preços bastante elevados.

Quando vou viajar, e isto é comum às minhas irmãs, planeio tudo, faço um itinerário e pesquiso o que quero ver desde monumentos, restaurantes, lojas, bares, eventos, etc.

Ainda no primeiro dia, depois de deixar as malas no hostel, fui às típicas ramblas, onde tem as barraquinhas de flores, milhares souvenirs, mimos, pintores, infinitos turistas e esplanadas convidativas com jarros gigantes de sumo de laranja e sangria.

No meio desta confusão excitante encontro o mercado de la boqueria. Sem dúvida que era dos espaços que estava mais curiosa para ver. É fantástico e uma autêntica perdição. Tem sumos frescos cobertos de gelo, infinitas gomas de todos os feitios, bombons, especiarias, montras com 7 variedades de azeitonas verdes (nem sabia que havia tantas) e … é melhor não me alongar mais!

Ainda aproveitei para ir à zona de Port Vell e sentar numas escadas a ouvir músicos “amadores” que preenchem as ruas e criam um ambiente único.

Hora do brunch! E o destino perfeito é? Brunck & Cake! Espaço com muitas opções vegetarianas e deliciosas!

Este brunch deu-me a energia que precisava para um passeio de bicicleta pela zona toda da praia de Barceloneta. Apontem no itinerário e, por 3 euros por hora, fazem check em mais um ponto da lista e têm uma experiência incrível. Foi nesse momento que senti-me de férias e finalmente a desligar de tudo o que ficou para trás.

Os restantes dias foram tão bons como o primeiro. Fiz o clássico e o obrigatório do must see em Barcelona. O clássico é sinónimo de ir dar um salto numa das obras- primas inacabadas de Gaudí, a Sagrada Família e tirar uma manhã para passear pelo Park  Güell e apreciar toda a beleza natural e  arquitetura das casas. Passa ainda, por visitar as casas Milà, mais conhecida por “La Pedrera” e a casa Battló, também concebidas pelo arquiteto Gaudí.

A desvantagem de querer fazer tudo a pé, é que acaba por ser muito cansativo e um verdadeiro castigo para os pés! A solução que encontrei foi descansar e aproveitar a típica siesta no Parc de la Ciutadella, dos poucos sítios silenciosos da cidade.

Outro refúgio à confusão da cidade e perfeito para passear é Montjuïc. Das atrações mais queridas da cidade. Um agradável passeio ao ar livre por caminhos com muita vegetação e uma vista privilegiada. Este passeio terminou com a chegada à font màgica, sítio perfeito para parar, apreciar o pôr-do-sol e esperar pelas 22 horas, hora que começa o espetáculo. O espetáculo é uma sequência de músicas e luzes coordenadas com os movimentos da água. É gratuito e atrai muitas pessoas mas consegue-se ver bem, há sítio para todos se sentarem e acaba por se criar um ambiente muito descontraído e familiar.

Para finalizar em beleza jantei no Teresa Carles, um restaurante vegetariano moderno e aconchegante com estilo rústico.

Fora do itinerário clássico, aproveitei para ir a um sítio onde não se vê tanta gente mas que é verdadeiramente incrível. Tibidabo, o ponto mais alto de Barcelona, cujo acesso a pé é proibido. Esta montanha contempla belíssimas vistas (não aconselháveis para quem tem vertigens), o parque de diversões mais antigo e o templo do Sagrat Cor.

Como disse, fica um cheirinho pois é impossível tentar escrever pouco e em simultâneo descrever tudo o que vi nesta viagem.

São apenas 5 dias mas dias cheios de vida e memórias.

O que ter em conta:

– Compra o Ticket de 10 viagens de autocarro no metro, compensa bastante!

– Tem em atenção em que dia planeias ir à fonte mágica pois o espetáculo só acontece:

De novembro a março  às quintas, sextas e sábados, entre as 20:00h e 21h.

De abril a maio às quintas, sextas e sábados, entre as 21:00h e 22:00h.

De junho a agosto o espetáculo acontece às quartas, quintas, sextas, sábados e domingos, entre as 21:30h e 22:30h.

De setembro a outubro o espetáculo acontece às quintas, sextas e sábados, entre as 21:00h e 22:00h.

– Evita os restaurantes turísticos, os preços são inflacionados e a qualidade pode ficar aquém do esperado.

– Compra online os bilhetes para a Sagrada Família e Park Güell.

Print Friendly